Conscientização e informação guiam Encontro ACI Mulher

Evento contou com presença de conselheiras do COMDIM e da coach financeira Luciane Werner

Um auditório lotado de mulheres com olhos e ouvidos atentos aos temas do I Encontro ACI Mulher por cerca de três horas. Assim foi a noite desta quinta-feira, 27 de junho, na ACI. Tendo como temas a violência contra a mulher e  o controle das finanças, o evento marca o início de uma série de encontros com caráter mais intimista que a entidade, criada em 2018, promoverá ao longo do ano.

Iniciando com um panorama da história da ACI Mulher, desde junho de 2018, a presidente da entidade, Vanessa Ferranti, deu as boas-vindas às cerca de 40 mulheres presentes. “Em um ano, realizamos muito. Mas com a ajuda de vocês, podemos trazer mais e trabalhar a mulher como um todo. Estamos sempre disponíveis para atender ideias, sugestões, para ajudar como entidade”, pontuou Vanessa antes de entregar a fala a Regiane Casagrande e Katia Colombo, membros do Conselho Municipal dos Diretos da Mulher – COMDIM.

CONSCIENTIZAÇÃO

Os dados alarmantes não mentem: A conscientização quanto à violência contra a mulher deve ser feita em todos os nichos possíveis. Lançando mão de dados municipais – onde seis prisões em virtude da Lei Maria da Penha já foram feitas em 2019 – o COMDIM apresentou uma dura realidade às presentes. “Gostaríamos sempre de compartilhar com vocês pontos positivos sobre o que conquistamos como mulheres ao longo dos últimos 50

anos. Mas não temos como falar de direitos sem explanar sobre a violência que a mulher sofre”, explicou a delegada Regiane.

Com 10 entidades compondo o Conselho, o COMDIM faz parte de uma estrutura quase ímpar quando se fala em combate à violência  de gênero em municípios brasileiros. Uma estrutura organizacional que inclui atendimento psicológico, acompanhamento da mulher violentada, casa de passagem e trabalho de advocacia através do projeto Mais Marias, onde advogadas voluntárias trabalham na defesa das vítimas em esfera judicial.  “É preciso levantar da cadeira e conscientizar, através da educação, crianças, adolescentes, homens, mulheres. Temos um projeto de grupo de agressores, onde eles discutem as suas atitudes com dez encontros acompanhados de psicóloga. Em breve, vamos colher bons frutos dessa atitude”, pontuou a advogada e representante da OAB Katia Colombo.

CONTROLE FINANCEIRO

Em uma segunda parte do Encontro ACI Mulher, foi aberto espaço para uma pequena amostra do Coaching Financeiro elaborado pela coach Luciane Werner. Com 30 anos de experiência em instituição financeira, Luciane é a criadora do método POQUEMON, que auxilia a controlar as emoções ligadas a gastos impulsivos – e com isso ter maior autonomia financeira. “Coach é um mentor. Ele ajuda a buscar resultados financeiros, baseado em evidências emocionais e racionais. Tudo o que é medido é melhor controlado e com isso podemos ver que organizar a vida financeira não é um bicho de sete cabeças”, explicou Luciane.

Apresentando dados de consumo no Brasil, onde 60% das compras são efetuadas por impulso, Luciane  justificou de maneira clara e didática a importância do controle emocional em prol do financeiro. “Quando não temos planos ou metas, ficamos paralisados. É preciso ter objetivos claros para nos organizarmos financeiramente”, aconselhou.

Como parte do workshop, Luciane apresentou as ferramentas de Roda do Dinheiro e de perfil de investidor, sempre alertando para a importância da  construção de reservas financeiras, especialmente em virtude do momento econômico e político vivido atualmente no Brasil.

O próximo encontro ACI Mulher está marcado para o dia 18 de julho, na sede da ACI, com o tema Storytelling.

 

 

Fotos: Raquel Piegas Comunicação e Estratégias



0